maio 19

Educação do Campo

ATIVIDADE DO TEMPO COMUNIDADE

O curso de Licenciatura em Educação do Campo da UFMA, Campus de Bacabal, atua aos moldes da Pedagogia da Alternância. Metodologia de ensino que intercala um período de convivência na sala de aula com outro no campo. Assim ao saírem do Tempo Universidade, período que os alunos recebem os conhecimentos repassados pelos professores, os discentes levam para o Tempo Comunidade atividades referentes as disciplinas a serem aplicadas em suas localidades de origem.

A disciplina de Botânica da professora Me. Juliana Rodrigues Rocha, ofertada nas turmas de Educação do Campo com Habilitação em Matemática e Ciências Agrárias, propôs como atividade do Tempo Comunidade a construção de um projeto Botânico e Ambiental. O objetivo da atividade era a utilização dos conhecimentos botânicos em sala de aula, intercalados de forma interdisciplinar com as questões ambientais, especialmente a reciclagem.

Os alunos foram divididos em grupos onde cada um recebeu um material específico (Papel, Plástico, Borracha, Madeira, Metal e utensílios domésticos) e deveriam recolher os materiais reciclados de suas comunidades e transforma lós em um projeto artístico, inserindo elementos botânicos em seus projetos. De forma também a retratar cenas do seu cotidiano no campo, os alunos ao retornarem ao Tempo Universidade realizaram a apresentação de seus trabalhos numa exposição no Campus para a troca de informações e experiências.

A interdisciplinaridade, ponto alvo da atividade, auxiliou na interação entre os alunos, juntamente com toda a comunidade acadêmica. O trabalho foi bem aceito pelos discentes que puderam partilhar ao final da experiência de um novo olhar para objetos e materiais aparentemente sem uso e da importância de estudos botânicos para o bom desenvolvimento de um ambiente equilibrado.

Galeria de Fotos

abr 01

Ufma Bacabal sedia o I Colóquio Internacional de Letras

logoO campus de Bacabal realizará, de 08 a 10 de junho, o I Colóquio Internacional de Letras (I CIL), com o tema “Linguagem e Diversidade Cultural”. Este é o primeiro evento, na área, de caráter internacional, do Campus.

O colóquio tem como objetivo abordar temas referentes ao ensino, pesquisa e extensão, promovendo a discussão acerca dos estudos linguísticos, do ensino de língua materna, do pluriculturalismo e da educação, da literatura e ensino, das literaturas africanas de língua portuguesa, da língua de sinais, entre outros. Para o enriquecimento dessas discussões, estudiosos nacionais e internacionais estarão presentes nesses três dias de evento.

Durante a programação haverá mesas-redondas, conferências, palestras, sessão de comunicação individual e coordenada, apresentação de pôster e minicursos. A palestra de abertura será proferida pelo professor da Universidade de São Paulo (USP), Benjamin Abdala Júnior. Já a de encerramento será ministrada pelo professor e linguista brasileiro, José Luiz Fiorin, também da Universidade de São Paulo.

Além das palestras, os participantes terão a oportunidade de conhecer também o escritor cabo-verdiano Evel Rocha, autor do romance Os Marginais, que ministrará uma palestra sobre o cenário da literatura em Cabo Verde na contemporaneidade.

Os interessados em apresentar trabalho podem enviar os resumos até o dia 13 de maio, através do formulário de inscrição. Os valores das inscrições, como ouvinte, custam R$ 10 (estudantes); R$ 15 (estudantes de pós-graduação) e R$ 20 (professores). Para aqueles que irão apresentar trabalhos, as inscrições custam R$ 15 (estudantes); R$ 25 (estudantes de pós-graduação) e R$ 30 (professores).

Para saber mais, acesse o site do evento.